Melhores Filmes de 2016

Em 2016 não assisti a tantos filmes como gostaria, mas resolvi fazer uma lista com os 35 melhores filmes produzidos entre 2014 e 2016 vistos este ano.

Voilà:

20. História Natural (James Benning)
Filme de Terror.

19.Nossa Irmã Mais Nova (Hirokazu Koreeda)
Surpreendente reinvenção da própria grife.

18. Creepy (Kiyoshi Kurosawa)
O melhor suspense americano do ano é japonês.

17. Cemitério do Esplendor (Apichatpong Weerasethakul)
Sobre se reinventar.

16. Carol (Todd Haynes)
Obsessão e cinema.


 15. O que Está Por Vir (Mia Hansen-Love)
O futuro é imperceptível.

14. Elle (Paul Verhoeven)
Eu, tu, eles e eu.

13. Certas Mulheres (Kelly Reichardt)
Aos tempos de ouro do cinema americano.

 12. Sully (Clint Eastwood)
Belo filme de tribunal.

11. O Espelho (Rodrigo Lima)
Simples delírio.

10. Kommunisten (Jean-Marie Straub)
Alusões cinematográficas.

09. John From (João Nicolau)
A paixão pelo imaginário adolescente (ou imaginário adolescente sobre a paixão).

08. Personal Shopper (Olivier Assayas)
O filme americano de Assayas não poderia remeter a outro nome que não fosse Shyamalan.

07. O Ornitólogo (João Pedro Rodrigues)
O evangelho segundo João Pedro Rodrigues.

06. À Sombra de Duas Mulheres (Philippe Garrel)
O amor é simples.

05. As Montanhas se Separam (Jia Zhang-Ke)
A mais bela poesia sobre nossa falta de controle.

04. Garoto (Julio Bressane)
Nuvem de pecados.

03. Beduíno (Julio Bressane)
O segundo filme sexual de Bressane.

02. O Ignorante (Paul Vecchiali)
O imaginário do homem burguês.

01. Hierba (Raul Perrone)
Sobre apropriação, fantasmas e cinema.

15 Menções: Time Will Burn (Marko Panayotis e Otávio Sousa), Aquarius (Kleber Mendonça Filho), Carnívora (Arthur Tuoto), Águas Rasas (Jaume Collet-Serra), Visitas ou Memórias e Confissões (Manoel de Oliveira), O Filho de Joseph (Eugène Green), Jovens, Loucos e Mais Rebeldes! (Richard Linklater), Certo Agora, Errado Depois (Hong Sang Soo), Being Boring (Lucas Nassif), Creed (Ryan Coogler), Os Campos Voltarão (Ermanno Olmi), Proxy Reverso (Roberto Winters e Guilherme Peters), Nerve (Ariel Schulman, Henry Joost), A Academia das Musas (José Luis Guerín), Sangue do Meu Sangue (Marco Bellocchio).

Comentários

Postagens mais visitadas